Home Contato Moto Grupo

           
:: MENU
www.motos.pro.br Página:  01 - 02 - 03 - 04  
 :: CB 400 / 450
 :: DIVERSOS
A CB - Oficina:



A CB - Oficina.

 

(clique nas imagens para ampliar)

- Vista do lado esquerdo, desmontada depois da limpeza;

- Vista do lado direito, mostrando o bom estado geral;

- Parte inferior do banco, com alguns adesivos de trocas de óleo.

 

clique para ampliar clique para ampliar clique para ampliar

 

- Sem a tampa esquerda do motor, mostrando magneto e pinhão da corrente;

- Tanque sem os logotipos "Honda", para limpeza e polimento;

 

clique para ampliar clique para ampliar

 

- Para regular o pedal do câmbio, tive que retirar a capa cromada do tubo equalizador dos escapes (muita ferrugem...). Eu prefiro um pedal de câmbio bem baixo, em função da minha estatura, mas nesta posição, esta capa atrapalha o acionamento do pedal. Tentarei mais tarde afastar o pedal do motor (adaptando algum prolongador), para permitir a colocação da capa.

- Sem a capa direita, muita ferrugem também. Mais tarde, também tentarei resolver esta ferrugem, cromando essa peça.

- Desmontagem das pastilhas de freio para verificação. Estas não devem ser as pastilhas originais de fábrica, mas são do mesmo modelo, Tokiko japonesas. Aparentemente em ordem e com bastante material para gastar; a dureza do freio deve ser causada pelo sistema hidráulico.

 

clique para ampliar clique para ampliar clique para ampliar

 

- Primeira modificação: os escapes, da Roncar, já estavam pra lá de gastos, totalmente ocos. Em vez de trocar um par original a cada ano, comprei um par esportivo desmontável, da Tork, que permite colocar material fono-absorvente na quantidade desejada. Coloquei uma manta especial sintética que aguenta até 700° C, não só na ponta mas também em toda a extensão do silencioso, com a ajuda de uma tela metálica, que segura esse material na posição correta. O ronco ficou muito agradável.....

- Visão "horripilante" do burrinho de freio, mostrando a gosma que o fluido se tranformou ao longo dos anos. Deu bastante trabalho para limpar.... Depois de limpo todo o sistema, e colocado novo fluido DOT 4, a ação do freio melhorou, mas continua duro e com pouca eficiência. As suspeitas recaem sobre a pinça e seu reparo interno. Devo levar numa oficina pra trocar, é mais seguro.

 

clique para ampliar clique para ampliar

Depois de algumas semanas, passeando por aí, levei a CB pra uma boa oficina, para limpar e regular os carburadores (estavam bem sujos), melhorando bastante o comportamento do motor, agora sem falhas e mais econômico. Porém, os escapes esportivos estão prejudicando o funcionamento do motor (ele poderia melhorar ainda mais o consumo), e nas desacelerações, ele dá muitos estouros, indício de retorno do ar frio pelo escapamento. Apesar do ronco ser muito bonito, acho que terei que colocar uns escapes originais.

- Pra não dizer que minha namorada (a dona da moto, afinal) não ajuda, ela está segurando o copo medidor durante a troca do óleo da suspensão dianteira. Acredito que essa manutenção nunca tenha sido feita pelo Vergílio (apesar de cuidar muito bem da moto, no aspecto visual, ele não entende nada de mecânica, é daqueles que nunca deve ter lido o manual; como a CB não é exigente em termos de manutenção, anda bem sem maiores cuidados, ele só trocava o óleo do motor, pneus, freios... a manutenção mais comum). Depois da troca do óleo, o comportamento da suspensão melhorou, mas nada muito sensível; isso corrobora a afirmação anterior, com óleo velho ou novo, a suspensão trabalha bem. Por isso vemos tantas CBs andando por aí ainda hoje, detonadas visualmente mas com mecânica ainda boa.

- A Mônica colocando o fluido novo, uma mistura de 100 ml de óleo 10W e 43 ml de óleo 20W, com o intuito de endurecer um pouco a frente. Costuma-se colocar mais óleo do que o recomendado para se atingir o mesmo efeito de endurecer a suspensão, mas isso pode arrebentar os retentores por excesso de pressão. Misturar óleo menos viscoso, como o 20W, é uma solução mais "elegante"....

 

Clique para ampliar Clique para ampliar

- Foto da troca das lonas do freio traseiro. As lonas (de modelo original, mas acho que não originais de fábrica) ainda estavam boas, mas faziam muito chiado quando frias, além de serem bastante duras. Compramos as mais baratas (Fabreck), na esperança de que esse baixo valor fosse sinônimo de baixa durabilidade, consequentemente maciez do material frenante (quanto mais macio, mais poder de frenagem, mas com alto consumo de lonas). O "tato" ao frear melhorou, sentindo que as lonas são realmente mais macias, porém, a potência de frenagem não acompanhou, pernanecendo quase igual ao original.

- Mais uma foto da roda traseira desmontada, mostrando a limpeza e a verificação dos coxins de borracha da transmissão, que ficam dentro do cubo. Estes estão em bom estado, sem muita folga.

Clique para ampliar Clique para ampliar

 

 

Outras Matérias

voltar