SIDE CAR – Parte 5



esquema eletrico

Instalação elétrica 

A moto agora está mais larga e para sua segurança, além de tomar mais cuidado com o tamanho que você irá ocupar em ruas e estradas movimentadas, é necessário fazer instalação de setas, lanternas e em alguns modelos até faróis para garantir que os carros também notem o tamanho da sua moto e o espaço que ela ocupa. A melhor opção é puxar da parte elétrica da moto a instalação destas luzes auxiliares.

 

Se você não for colocar um farol, provavelmente a sua moto suportará muito bem as novas lâmpadas (uma para seta e outra para lanterna e freio). Se o seu side car possuir farol o ideal é calcular se o sistema elétrico da sua moto suporta mais uma lâmpada, ou adaptar uma lâmpada de baixo consumo. Se você pretende usar a sua moto sem o side car de vez em quando ou no dia a dia é importante colocar um terminal macho/fêmea como os de reboque ou terminais automotivos com vários contatos. Não se esqueça de fazer um bom aterramento!

A instalação de rádios, DVD’s, ar condicionados e outros acessórios elétricos no side car demanda instalação profissional e provavelmente uma nova bateria para a moto ou uma bateria auxiliar para o side car, com sistema próprio de carregamento ou sistema dependente do sistema original da moto, caso este suporte.

Documentação e legislação:

Side car muito antigos não eram documentados e podem ser usados assim até “sucateamento da frota”, mas a legislação vigente diz que o side car é um acessório da moto que deve passar por vistoria do INMETRO. De posse do comprovante de segurança veicular (Como os de carros com GNV) o proprietário deve solicitar ao DETRAN do seu estado alteração de característica da sua moto, onde no campo carroceria constará Motociclo/Side Car.

“é importante levar a legislação em vigor no ato da vistoria, pois estou a anos enfrentando problemas no posto de vistoria devido à ignorância dos vistoriadores sobre o side car. Quando solicitei a alteração de característica, apesar de meus protestos em contrário, o posto de vistoria me obrigou a emplacar o side car. Hoje estou com uma Requisição Geral no DETRAN para pedir baixa da documentação do side car.”

Sua moto não deixará de ser uma motocicleta e apesar do que algumas rodovias pedagiadas pensam, sua moto não virou um triciclo e deveria continuar sendo cobrada como motocicleta. O mesmo vale para estacionamentos de shopping e na ruas.   “Aqui no Rio de Janeiro em todos os pedágios da BR101 e da Via Lagos eu pago normalmente como moto, porém na Ponte Rio Niterói eles me cobram como carro e não adianta discutir…”

O uso do capacete é obrigatório para o side car, mesmo para aqueles que possuem parabrisa e Santo Antônio.

Ficha técnica:

construindo um side car, sidecar, cb, cb400

Rodrigo Escóssia (Scout):

30 anos, casado, pai da Eliza, técnico Mecânico e apaixonado por motos (e pela esposa)

Moto Grupo CBzeiros do Rio de Janeiro Brasil

 

 

 

construindo um side car, sidecar, cb, cb400

Diamante Negro:

Moto Honda CB 450 Custom 1986 560cc (isso mesmo, mas esta estória fica para depois)

Side car Russo CR 100 1 E capacidade 1 passageiro / 300 Kg

Você pode deixar um comentário, ou adicionar um link para este post em seu site.

Deixe um comentário